Enquadramento do uso tradicional do fogo em Portugal e estudo de caso - incluindo o regime de fogo - do Alto Minho. Introdução

 Por: Emanuel Oliveira.  Desde que iniciei os trabalhos com vista à conclusão do doutoramento na Universidade de Santiago de Compostela (Esp...

 Por: Emanuel Oliveira. 


Desde que iniciei os trabalhos com vista à conclusão do doutoramento na Universidade de Santiago de Compostela (Espanha), a minha atividade neste blogue ficou claramente congelada. Agora, uma vez concluído este processo de investigação que levou alguns anos da minha vida, retomo o trabalho de redação, com o fim de promover e divulgar as diversas temáticas relacionadas com o mundo dos fogos florestais. Sendo assim, reiniciarei  a minha atividade no blog divulgando o trabalho desenvolvido na minha tese - Enquadramento do uso tradicional do fogo em Portugal e estudo de caso - incluindo o regime de fogo - do Alto Minho.

Pode dizer-se que iniciei o processo de investigação a partir de uma posição baseada na minha experiência como técnico no terreno, no uso institucional do fogo, também conhecido como fogo controlado, e na prevenção e combate aos incêndios florestais. Embora a experiência seja uma parte fundamental, especialmente nas muitas questões que se colocam, o conhecimento científico é essencial para encontrar as respostas de uma forma fundamentada. Assim, os principais motivos que despoletaram a vontade de escrever esta tese foram, sobretudo, continuar os meus estudos dedicados aos fogos florestais e também procurar respostas para questões relacionadas com o impacte dos grandes incêndios, cada vez mais recorrentes e de maiores dimensões. 

Refém da minha experiência com os incêndios, desde uma perspetiva de quem vive e trabalha num território que arde muito, tanto à escala regional como nacional, a abordagem inicial na elaboração desta tese baseou-se no impacto dos grandes incêndios florestais na região do Alto Minho, com enfoque nos incêndios florestais como problema. 

Focos de Calor (sensores MODIS e VIIRS) entre 2001 e 2022 e destaque da região de estudo de caso - Alto Minho

À medida que a investigação foi avançando, a minha perceção dos grandes incêndios foi-se alterando. Esta mudança deveu-se principalmente ao período de trabalho de investigação dedicado ao mapeamento e classificação dos fogos florestais que afetaram o Alto Minho. Uma vez concluído este trabalho, o processo de classificação levou-me a investigar os usos ancestrais do fogo através da recolha e leitura de documentos históricos, manuscritos e legislação. Esta fase da investigação, motivada também pela minha experiência de campo com comunidades tradicionais e indígenas, levou-me a procurar o uso do fogo nativo em Portugal, pelo que só em documentos históricos se pode identificar e recuperar informação sobre técnicas e práticas ancestrais das comunidades do passado. Esta foi uma tarefa fundamental, que me permitiu alargar a visão e compreender a evolução do uso do fogo no território português, bem como a relação com os grandes incêndios florestais. Estes grandes incêndios são, no fundo, uma consequência e não o problema.

A grande quantidade de informação e o detalhe dos dados obtidos tornaram a investigação numa abordagem holística de todos os fogos florestais que se propagaram de diferentes formas na paisagem do Alto Minho. 

Fruto dos diversificados trabalhos de investigação e dos diferentes produtos obtidos, a tese foi estruturada como compêndio de artigos, dividindo-se em duas partes que somam um total seis capítulos que reproduzem na íntegra os respetivos artigos publicados. A 1ª Parte, dedicada ao uso tradicional do fogo é composta por três capítulos resultantes da análise documental histórica e legislativa e dos dados de incidentes obtidos. O seu conteúdo é transversal a todo o território nacional. 

Capítulos da Parte I da Tese

A 2ª Parte, dedicada ao estudo de caso – região do Alto Minho - é igualmente composta por três capítulos que resultam integralmente do trabalho de mapeamento detalhado das áreas afetadas por fogos e da sua classificação na região.

Capítulos da Parte II da Tese

Os produtos obtidos e materializados em artigos científicos foi possível graças aos investigadores que participaram no tratamento e análise dos resultados, na redação e revisão científica. O seu compromisso, profissionalismo, dedicação e empenho foram determinantes em todo o processo de investigação, pelo que deixo o meu agradecimento, começando pelos meus diretores - Prof. David Miranda, da Universidade de Santiago de Compostela, ao Prof. Paulo Fernandes da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro - e aos meus dedicados colegas que muito me apoiaram – Conceição Colaço e Catarina Sequeira, ambas investigadoras do Centro de Ecologia Aplicada Baeta Neves – Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Nuno Gracinhas Guiomar, investigador do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Évora e Raquel Lobo-do-Vale do Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa.

Coautores que participaram nos artigos publicados no contexto da Tese. Da esquerda para a direita: Catarina Sequeira, Conceição Colaço, Emanuel Oliveira, Nuno Guiomar e Paulo Fernandes. Faltam David Miranda e Raquel Lobo-do-Vale.

Este post dá assim início à divulgação sintética de cada um dos artigos produzidos no contexto da tese.

Blogger TemplatesMy Blogger TricksAll Blogger Tricks
Nome

Alterações Climáticas,4,Alto Minho,11,Crónicas,3,Destaques,9,Fogo Prescrito,9,Formação,2,Gestão Florestal,2,Incêndios Florestais,43,Meteorologia,11,Opinião,3,Prevenção,10,Técnica,9,Tecnologia,8,Uso do Fogo,7,
ltr
item
Fogos Florestais: Enquadramento do uso tradicional do fogo em Portugal e estudo de caso - incluindo o regime de fogo - do Alto Minho. Introdução
Enquadramento do uso tradicional do fogo em Portugal e estudo de caso - incluindo o regime de fogo - do Alto Minho. Introdução
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjdRdXHPacd8ns59x0cM3-QGHRz4eD1xKtQtseNdhE9xJ9phFpT5v9J00weLJr7XAHSSF9qk5smmOjJpcYdOdCc8Eao7EQySQkNlPsSbok1Vw8pnm3qLQNiOWjBj8gRuKbrmoPQIAXRNkrCGFBXJV5TtLe73BIIC6P0da-Wz3DzKEYUOa0G68z_Jwi1EVo/w640-h546/MODIS_Iberia_2001-2022.gif
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjdRdXHPacd8ns59x0cM3-QGHRz4eD1xKtQtseNdhE9xJ9phFpT5v9J00weLJr7XAHSSF9qk5smmOjJpcYdOdCc8Eao7EQySQkNlPsSbok1Vw8pnm3qLQNiOWjBj8gRuKbrmoPQIAXRNkrCGFBXJV5TtLe73BIIC6P0da-Wz3DzKEYUOa0G68z_Jwi1EVo/s72-w640-c-h546/MODIS_Iberia_2001-2022.gif
Fogos Florestais
http://www.fogosflorestais.pt/2023/12/httpwww.fogosflorestais.pt202312enquadramento-do-uso-tradicional-do-fogo-em-Portugal.html
http://www.fogosflorestais.pt/
http://www.fogosflorestais.pt/
http://www.fogosflorestais.pt/2023/12/httpwww.fogosflorestais.pt202312enquadramento-do-uso-tradicional-do-fogo-em-Portugal.html
true
6556109416670895325
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content