Trovoadas III – Tipos de trovoadas

 Por: Emanuel Oliveira Como já vimos nos artigos anteriores o desenvolvimento das trovoadas/tempestades depende de várias condições do meio ...

 Por: Emanuel Oliveira



Como já vimos nos artigos anteriores o desenvolvimento das trovoadas/tempestades depende de várias condições do meio onde se formam, tendo por base a instabilidade atmosférica, para dar origem a um tipo de nuvens associado às trovoadas – os cumulonimbus (Cb).

As trovoadas são necessárias para o balanço radiativo da atmosfera, na distribuição da precipitação e no transporte da humidade e calor para a troposfera superior, bem como na modelação da paisagem por incêndios causados por raios.

Esquema representativo das Fases do Ciclo de Vida de uma Tempestade. Fonte: Antonio Ciccolella

De acordo com o referido nos artigos anteriores, as células convectivas são nuvens formadas por uma forte corrente de ar ascendente de velocidade superior a 18 km/h e uma corrente descendente acompanhada de precipitação de água e por vezes, de gelo (granizo) e com uma base horizontal que oscila entre 10 a 100 km2.

Existem 3 tipos de tempestades:

  1. Unicelular
  2. Multicelular
  3. Supercelular

Tempestade Unicelular

Trovoada Unicelular. Crédito: Steve Seman

A Trovoada Unicelular é aquela que é formada a partir de uma única célula, com um ciclo de vida de curta duração (20 a 30 min), entre a fase de desenvolvimento à fase de dissipação. São trovoadas de caráter aleatório e normalmente não originam situações meteorológicas severas. A sua previsibilidade é extremamente baixa.

Trovoada Multicelular

Trovoada Multicelular (aglomerado convectivo multicelular). Crédito: Brian Barnes. Fonte: https://www.stormtours.com/

A Trovoada Multicelular é formada por diversas células convectivas em diferentes fases de desenvolvimento do ciclo de vida de uma tempestade/trovoada, podendo durar várias horas.

As Trovoadas Multicelulares podem ser de dois subtipos: 

  • Linha de trovoadas multicelulares, compostas por uma linha de células convectivas, com uma frente de rajada contínua e bem desenvolvida, surgindo frequentemente como um banco de nuvens escuras cobrindo o horizonte.
  • Aglomerado de trovoadas multicelulares, compostas por um aglomerado de células convectivas que se move como uma única unidade. À medida que este aglomerado evolui, as células vão-se revezando, as células maduras encontram-se no centro, enquanto que as células convectivas em fase de dissipação encontram-se ao longo de toda a “massa” de nuvens e as células em fase de formação localizam-se normalmente ao longo da borda do aglomerado e a favor do vento.

Trovoada Multicelular (linha de tempestade multicelular). Fonte: http://www.nightskyhunter.com/

As trovoadas multicelulares são muito mais potentes do que as trovoadas de uma única célula convectiva, podendo produzir eventos severos. Normalmente, as linhas de trovoadas multicelulares são responsáveis por episódios extremos, próximo à interface das correntes ascendente/descendente na frente da trovoada, produzindo ventos downburst e ocasionalmente levando a fortes enxurradas, quedas de granizo de grandes proporções (do tamanho de bolas de golfe) e “gustnado” (abreviatura de “gust front tornado”, isto é “tornado de frente/linha de rajada)

Tempestade Supercelular 

As Trovoadas Supercelulares são tempestades compostas por uma só corrente ascendente em contínua rotação profunda – mesociclone (Doswell and Burgués, 1993). A principal diferença entre as trovoadas supercelulares e as multicelulares é o elemento de rotação nas supercélulas. Ao contrário do que ocorre nas trovoadas multicelulares em que as células convectivas atuam separadamente, nas supercélulas as correntes ascendentes das bordas alimentam a corrente ascendente principal da supercélula.

As Trovoadas Supercelulares costumam atingir enormes dimensões quer na horizontal (entre 20 a 200 km) e na vertical (15 a 20 km), tendo um tempo de duração médio entre 2 a 3 horas. Com estas caraterísticas são capazes de produzir o estado meteorológico mais devastador, onde se incluem rajadas de ventos superiores a 100 km/h, granizo de grandes diâmetros (superiores a 2 cm), enchentes repentina, fortes relâmpagos e tornados, em qualquer fase do ciclo de vida.

COMMENTS

Blogger TemplatesMy Blogger TricksAll Blogger Tricks
Nome

Alterações Climáticas,4,Alto Minho,9,Crónicas,3,Destaques,5,Fogo Prescrito,7,Formação,2,Gestão Florestal,2,Incêndios Florestais,40,Meteorologia,11,Opinião,3,Prevenção,10,Técnica,9,Tecnologia,8,Uso do Fogo,3,
ltr
item
Fogos Florestais: Trovoadas III – Tipos de trovoadas
Trovoadas III – Tipos de trovoadas
https://1.bp.blogspot.com/-JkX49s2WWcY/YMfKUAcJmdI/AAAAAAAACEs/uVrJ-PR8lO4vzgnRF7YxNcyfPuQhKnEwwCLcBGAsYHQ/w640-h422/supercelula_trovoada.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-JkX49s2WWcY/YMfKUAcJmdI/AAAAAAAACEs/uVrJ-PR8lO4vzgnRF7YxNcyfPuQhKnEwwCLcBGAsYHQ/s72-w640-c-h422/supercelula_trovoada.jpg
Fogos Florestais
http://www.fogosflorestais.pt/2021/06/trovoadas-iii-tipos-de-trovoadas.html
http://www.fogosflorestais.pt/
http://www.fogosflorestais.pt/
http://www.fogosflorestais.pt/2021/06/trovoadas-iii-tipos-de-trovoadas.html
true
6556109416670895325
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content