sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Os incêndios florestais afectam sector do vinho

Os incêndios florestais estão a destruir os vinhedos sul-africanos e contaminando as uvas.

Destaca-se a seguinte notícia no site da Bloomberg sobre como os incêndios florestais na África do Sul estão a colocar em risco a produção e a qualidade dos vinhos. Em Portugal a situação dos incêndios florestais face ao sector vitivinícola não tem suscitado ou não têm sido do conhecimento público as preocupações dos nossos produtores.

Os incêndios florestais que têm assolado durante os últimos quatro dias a principal região produtora de vinho de África do Sul têm destruído vários vinhedos, contaminando as uvas com fumo e danificando numerosos pomares.
Foto: Sullivan, em Simonsberg Fire - África do Sul * http://www.sullivanphotography.org/
"Desde terça-feira cerca de 2.800 hectares (6.919 acres) de superfície foi queimada," James-Brent Styan, porta-voz do Ministério do Ambiente na Província de Western Cape, disse por telefone nesta sexta-feira. Os incêndios já se encontram sob controlo e as áreas afetadas estão sendo monitorizadas para evitar reacendimentos, disse ele. A avaliação completa dos danos ainda não foi realizada.

África do Sul é o sétimo maior produtor de vinho do mundo e os seus maiores clientes internacionais incluem o Reino Unido, Alemanha e Holanda. O país produz uvas para vinho branco, incluindo Chenin Blanc, Chardonnay e Sauvignon Blanc, e variedades de vinho tinto que incluem Pinotage, o qual foi criado em África do Sul. Os vinhedos estão principalmente concentrados no Western Cape e a indústria emprega cerca de 300.000 pessoas.

"Cerca de 20 por cento das vinhas de Sauvignon Blanc foram queimadas e as bordaduras das nossas vinhas Chardonnay foram danificadas", afirmou Charlotte Terblanche, porta-voz da propriedade vitivinícola de Delheim em Stellenbosch, a cerca de 50 quilómetros (31 milhas) a leste da Cidade do Cabo (Cape Town). "A floresta perto de nossa propriedade foi completamente destruída."

Para além de que os incêndios provavelmente tenham um impacto significativo sobre a quantidade da colheita de uvas deste ano, parte desta pode estar contaminada pelo fumo, pelo que poderá alterar o sabor do vinho, afirmou Edo Heyns, porta-voz da Vinpro, que representa os exportadores de vinho.

, 22 de janeiro de 2016


0 comentários:

Enviar um comentário