segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

O Fogo Controlado como ferramenta para reduzir os Incêndios Florestais

Por: Emanuel Oliveira
Publicado no Jornal VALE MAIS

N.º 35 # NOVEMBRO 2014

Praticamente, faltam dois meses para acabar o ano e cerca de 7 meses para entrarmos numa nova fase da tão mediática época de incêndios florestais. Passamos novamente um verão e já esquecemos os incêndios florestais, contudo a floresta continua e o risco de incêndio mantém-se, ou melhor, aumentou o seu potencial face a um incremento da carga de combustível.

Segundo o relatório provisório de incêndios florestais de 1 de janeiro a 30 de setembro de 2014, publicado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, apenas ocorreram neste ano, no Alto Minho cerca de 330 ocorrências, cuja área correspondente foi aproximadamente de 830 hectares, dados estes muito distantes das médias anuais verificadas no período de 2001 a 2013: cerca de 1550 ocorrências/ano e cerca de 9 000 hectares de área ardida anualmente no território. Sem dúvida alguma, as condições meteorológicas anómalas deste verão, com temperaturas abaixo do normal e a humidade elevada e o número de dias de precipitação registados, favoreceram a redução do número de incêndios, bem como limitaram a sua propagação, reduzindo a área ardida.
Ação de Fogo Controlado numa cumeada com faixa negra previamente executada.

O que isto significa?

Significa que face à reduzida área ardida verificada no ano corrente em relação à média distrital, implica que para o ano 2015 existe um aumento da carga de combustível derivada do aumento da vegetação viva e da acumulação de vegetação morta, o que por sua vez requer um esforço para a gestão destes combustíveis florestais com o fim de reduzir o risco inerente de incêndio florestal.

Os trabalhos de gestão de combustíveis florestais acarretam custos elevados, principalmente com recurso a meios mecanizados ou moto-manuais, praticamente incomportáveis face às reduzidas receitas obtidas da floresta. Por outro lado, se considerarmos o elevado potencial de regeneração dos matos no Alto Minho, em virtude das temperaturas amenas e da humidade disponível, os custos acrescem devido à necessidade de um aumento das acções de controlo dessa vegetação. É aqui que o Fogo Controlado ou também denominada queima prescrita, joga um papel fundamental na gestão dos combustíveis, permitindo em simultâneo à redução da carga e do seu potencial risco de incêndio, a renovação das pastagens, a fertilização dos solos e o controlo de espécies invasoras. A sua eficiência reside no seu efeito mais duradouro que o corte da vegetação, reduzindo igualmente os custos associados. O recurso ao fogo controlado não tem tantas limitações como o corte mecanizado ou moto-manual, o qual fica limitado ao relevo e ao tipo de solo, cuja dificuldade por vezes impede a utilização de maquinaria e requer um trabalho hercúleo de homens para a desmatação.

O fogo controlado consiste no uso planeado do fogo em condições ambientais favoráveis à satisfação dos objetivos de gestão previamente identificados, constituindo uma ferramenta muito eficiente quando utilizada eficazmente.
Ação nocturna de fogo controlado. A importância de aproveitar as melhores condições de prescrição exige uma elevada disponibilidade dos operacionais envolvidos, à semelhança do que ocorre no Período Crítico com as equipas de prevenção a incêndios florestais.

No âmbito territorial do Alto Minho, onde o risco de incêndio florestal é transversal a todos os concelhos, implica gerir e reduzir a carga de combustíveis florestais aos níveis naturais, sem a supressão do fogo, isto significa o recurso ao fogo controlado trabalhado a uma escala temporal dilatada e à escala espacial da paisagem, ao contrário de ações isoladas quer no tempo quer no espaço, atualmente levadas a cabo. O uso do fogo controlado, tal como ocorre nos EUA, Canadá ou Argentina, para ser eficaz e sobretudo eficiente, implica um trabalho planificado, rigoroso, sistemático para aproveitar as melhores condições ambientais e pessoal especializado e exclusivamente dedicado, não ficando refém de outras ações nem limitado ao tempo. Mais Fogo Controlado significa Menos Incêndios Florestais no Alto Minho!

0 comentários:

Enviar um comentário